Veja cinco lutadores que foram estrelas no UFC e poderiam se dar bem na WWE

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

UFC e WWE andam cada vez mais juntos. Apesar de um certo preconceito entre os torcedores que acompanham uma só modalidade para com a outra, temos visto Brock Lesnar, Ronda Rousey e CM Punk rompendo esta barreira.

Acompanhei o UFC de forma full time por cinco anos, como editor de um blog especializado no assunto. Neste tempo, vi características bem legais em alguns atletas do UFC que poderiam muito bem se encaixar na WWE.

Claro que não há uma fórmula mágica. Não é porque você fez sucesso no octógono que vai conquistar o público no ringue, mas ter carisma e relativo sucesso em seu cartel já é um bom começo.

Listei aqui cinco lutadores que foram muito além das provocações clichês do tipo “falar até papagaio fala” e conseguiram se vender, muito bem, no UFC. Aliado a isso, estes atletas tiveram sucesso na prática do esporte em si.

A lista:

Fabrício Werdum

Facebook / Divulgação

Um certo bairrismo para abrir a lista. Werdum é brasileiro e gaúcho. Mas claro que não me baseio nisso para fazer a indicação. O lutador foi campeão peso-pesado do UFC e tem sucesso reconhecido no ringue. Com o microfone em mãos se tornou comentarista da FOX para a América Latina, tamanha sua desenvoltura nas entrevistas.

Eu entrevistei o Werdum em uma oportunidade e vi nele muito bom humor e carinho pelo que faz, o que são pontos importantes para fazer sucesso na WWE.

No início do ano, o atleta declarou:

“Acho que é possível sim (lutar wrestling e MMA ao mesmo tempo). Você pode lutar no WWE e se eu tivesse a oportunidade de lutar lá, não tem problema. É financeiramente muito bom. Lutar no WWE, um espetáculo que é divertido participar. Eu sei que posso.”

Miesha Tate

E se a maior rival de Ronda Rousey no UFC fosse para a WWE? Miesha e Ronda se odeiam. Não seria bom para os bastidores, então, de cara, já acho que seria legal separar as duas em brands diferentes.

Mas focando em Miesha, ela é muito popular nos Estados Unidos. Foi técnica em uma edição do reality show Ultimate Fighter. Sua carreira no MMA também é mundialmente reconhecida. Ela já foi ligada à WWE em algumas oportunidades e se mostrou aberta à possibilidade.

A rivalidade com Ronda, na vida real, trouxe a ela muita desenvoltura com o microfone em mãos. Vejo um bom nome para a divisão feminina.

Chael Sonnen

Sonnen foi um dos principais nomes do UFC por anos e, atualmente está no Bellator. Os brasileiros se lembram das provocações sofridas por Anderson Silva e da resposta do brasileiro dentro do ringue. O atleta já participou de eventos da GFW.

Chegando na WWE, Sonnen já seria um dos principais nomes no microfone da empresa. Ele sempre pareceu um heel em seus tempos de UFC. Acho que seria a transição mais fácil dos nomes citados nesta lista.

Rampage Jackson

Ex-estrela do UFC, Rampage teve algumas aparições na TNA. Atleticamente muito forte, Rampage é um dos lutadores mais populares dos Estados Unidos. Aos 39 anos ele não tem a mesma explosão da juventude, mas cairia muito bem no roster da WWE.

A principal contribuição, porém, eu acho que viria nos bastidores. Rampage seria um GRANDE professor de wrestling aos jovens da WWE.

Daniel Cormier

Seria um choque no mundo do MMA a mudança de Daniel Cormier para a WWE. Ele é campeão na organização e não dá mostras de querer deixar este universo. Porém, sonhar não custa nada.

Caso a WWE faça essa mágica acontecer, algo que não acredito, seria um BAITA reforço para seu roster. Qualidade impecável. Caráter muito respeitado. Carreira de sucesso. Fora grandes discursos nos microfones. Chegaria para ser estrela.

A lista não apontou Conor McGregor, pelas consequências desta contratação. Conor iria exigir o centro das atenções, por sua personalidade, e não se daria bem na WWE. Jon Jones seria outra escolha natural, mas, seu cartel sujo por doping não me permite esta indicação.

Concorda? Mais alguma sugestão? Deixa teu comentário!

Leia também:

A carreira de Shinsuke Nakamura no MMA: de luta no Brasil até recusa ao UFC

A carreira de Alberto del Rio no MMA: do México ao Pride

A carreira de Rezar no MMA: do Shooto até a vitória em 18 segundos

A carreira de Bobby Lashley no MMA: da máscara de Rey Mysterio a dois “quase combates” épicos

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *