Memórias de WrestleMania: por Rapha Luque

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Quando o Nicolas me convidou a escrever sobre a luta que mais marcou minha memória na história das WrestleManias, voltei para 2008 quando comecei a acompanhar a WWE graças ao SmackDown vs Raw 2008 e ao SBT. Ao olhar pra trás e ver tudo o que rolou nesses últimos 11 anos eu não sei quem eu seria hoje se a luta livre não tivesse entrado na minha vida naquele ano.

Não consigo enxergar onde eu estaria hoje e nem imaginar em nenhuma outra possibilidade do que eu estaria fazendo aos 25 anos se não fosse estar em cima de um ringue. Esse é o momento em que eu assumo e ostento os meus privilégios.

Conversando com vários fãs de pw espalhados pelo Brasil muitos deles compartilham da simples vontade de assistir um evento com nem que seja um único amigo do lado pra debater, torcer e compartilhar aquelas emoções. Tive a sorte de desde 2010 ter amigos maravilhosos com quem assistir os PPVs e depois que entrei na BWF obviamente fui conhecendo muitas pessoas com esse mesmo amor e ganhando novos amigos e irmãos.

São 7 anos sendo além de fã, alguém que coloca literalmente o corpo em risco pelo pro-wrestling e sempre que eu paro e penso no impacto que um jogo e um programa de lutinha nos sábados a tarde tiveram na minha vida me pego rindo e sendo grato a vida pela oportunidade de estar onde estou, fazendo o que faço e me motivo pra continuar batalhando pra chegar cada vez mais longe e indo atrás dos meus sonhos e objetivos.

Depois desse momento sentimental em que abri meu coraçãozinho roxo e brilhante pra declarar o meu amor por essa arte, vamos ao que importa! Durante as transmissões no SBT que ocorreram justamente no Road to WrestleMania daquele ano nós conseguíamos claramente entender a importância desse período pro Universo WWE. Infelizmente na semana pós WrestleMania 24 onde descobriríamos o que aconteceu no evento, sem maiores explicações, o programa era substituído na grade de programação da emissora do tio Silvio Santos.

Existem as teorias e explicações sobre o que aconteceu, mas que agora não vem ao caso. O fato é que durante esses poucos meses dois lutadores foram os responsáveis por me fazer embarcar de cabeça nesse mundo. O primeiro foi John Cena que me ganhou pelo discurso na estreia do programa (recomendo demais esse vídeo, inclusive) e algumas semanas depois pelo retorno surpresa vencendo o Royal Rumble (fica pra outro dia inclusive a história de como eu descobri o que era Royal Rumble e como fiquei sabendo sem querer que John Cena tinha ganhado o de 2008 antes dos programas daquela semana no SBT).

O segundo lutador por quem eu nutri essa admiração e que será o personagem principal da história de hoje é Jeff Hardy. Motivos não faltavam! O visual louco, os fogos na entrada, a dancinha destrambelhada, as manobras aéreas… E digo mais! Quem for da geração SBT e não se arrepiar com aquele icônico Swanton Bomb no Orton lá de cima da pqp boa pessoa não é!

Quando o SBT para de transmitir os programas da WWE e nos deixa ali em choque e sem saber “o que que tava com teceno” eu tive que dar um jeito de continuar acompanhando aqueles caras. Eu não tinha computador em casa na época e meus amigos diziam que o que eu gastava na Lan House assistindo lutinha falsa dava pra ter comprado uns 3 PCs, mas isso não abalava a minha vontade de assistir e acompanhar essas histórias principalmente por tudo que aconteceu com Jeff Hardy naquela temporada WWE 08/09. Eu guardava dinheiro pra ir na lan house pelo menos toda quarta feira pra entrar no Orkut e nas comunidades da WWE pegar os Spoilers do Raw de segunda feira, da ECW de terça e do SmackDown que seria transmitido na sexta, mas já era gravado na terça-feira também.

Pouco antes da WrestleMania 24, ainda no SBT, Jeff perdeu uma luta contra Chris Jericho que valia tanto o Título Intercontinental quanto a vaga para a Money in the Bank. Nas minhas pesquisas pelas interwebs descobri depois sobre os problemas pessoais de Jeff e que aquela derrota fazia parte de uma suspensão da WWE. O cara era campeão Intercontinental, tinha acabado de disputar o Título da WWE no Royal Rumble, tinha a vaga no Money in the Bank, vacilou, foi suspenso e por conta de seus erros, muitos ali já questionavam qual seria seu futuro quando acabasse esse gancho.

Aguardei ansioso pela sua volta e foi na lan house que vi quando ele retornou numa sequência de lutas contra Umaga (teve Whisper in the Wind do alto da Steel Cage no Raw e um Swanton Bomb de cima de um caminhão no Extreme Rules. Recomendo, amiguinhos), depois rola o Draft, Jeff é transferido pro SmackDown e começa a novamente brigar por uma vaga no Main Event, agora na brand azul.

Passei meu primeiro ano inteiro torcendo por Jeff Hardy e parecia que toda vez que ele chegava perto do título algo acontecia e puxava seu tapete. No No Mercy a quase vitória contra Triple H foi frustrante. No caminho para o Survivor Series ele aparece pela primeira vez com a pintura no rosto e vence The Undertaker numa Extreme Rules no SmackDown para poder lutar novamente pelo título da WWE, dessa vez contra Kozlov e Triple H.

No dia do Survivor Series, abrem o show dizendo que Jeff foi atacado nas escadas do hotel e estava fora da luta que ele tanto tinha batalhado para entrar. Edge retorna depois algum tempo sumido, substitui Jeff na Triple Threat e é o novo campeão da WWE. Naquele momento do ano além de ter visto no SBT do que Edge e La Familia eram capazes eu também já tinha horas suficientes na lan house assistindo os clássicos Hardyz vs Edge & Christian e sabia que a treta era antiga. Era claro pra mim que por mais que Edge negasse, ele e Vickie Guerrero armaram o ataque nas escadas do hotel.

Armaggedon 2008. O PPV foi no dia 14 de dezembro e no dia 15 eu tinha que ir para a escola participar um ensaio da Formatura do Ensino Fundamental. Cheguei desesperado e ao invés de ir direto pro ensaio fui correndo usar o computador da biblioteca para ver o que tinha acontecido na noite anterior e lembro que corri e pulei pela escola comemorando algo que ninguém naquele lugar fazia ideia do que era, mas pra mim era um dos momentos mais especiais daquele ano. Comprei esse DVD e assisti tantas vezes essa luta que se você me pedir eu te conto a marcação inteira dela.

Em Janeiro fui passar as férias na casa do meu pai, lá tinha computador e pela primeira vez eu consegui assistir os shows da WWE ao vivo (eternamente grato ao FirstRows). A vida de Jeff não foi fácil nesse tempo. Rolou o acidente de carro, rolou o acidente com os fogos, mas o maior acidente pra mim foi meu pai inventar de sair no dia do Royal Rumble.

Consegui com que voltássemos mais cedo, mas quando cheguei em casa e corri pro computador atrás de links, recebi no MSN a notícia de que o Jeff havia perdido o título em sua primeira defesa depois de tomar uma cadeirada do seu irmão Matt. Nem quis ver o resto do evento Rumble. A decepção e a tristeza que bateram com aquela notícia acabaram com toda a empolgação que eu estava em assistir o meu primeiro pay per view ao vivo.

Por ser muito fã de Jeff, era fã de tabela do Matt. Infelizmente ele havia sido draftado pra ECW naqueles tristes anos finais da casa do Extreme (que já não era mais casa do Extreme), mas ainda assim acompanhava e torcia por ele, ficando muito puto quando ele perdeu o título pra Jack Swagger. Eu sonhava em um dia ser Campeão de Duplas como os Hardyz e uma parte desse sonho foi quebrada com aquela cadeirada, mas nos levou pra essa que é a luta que mais mexeu comigo na WrestleMania nesses anos em que acompanho a WWE.

No dia da WrestleMania 25 eu tentei ao máximo negociar com o pessoal da lan house pra que ficassem abertos até mais tarde. No domingo não passava das 18h, mas o pessoal conhecia tanto do meu vício que pelo menos consegui assistir CM Punk se tornar duas vezes Mr Money in the Bank naquela noite.

Cheguei na minha casa, liguei o vídeo game e comecei a mais uma vez simular o card daquela WM, algo que fiz sei lá quantas vezes naquela semana, mas naquele momento sabendo que o evento estava rolando eu simplesmente não conseguia me divertir e me concentrar no jogo. Estava angustiado querendo saber o que rolava na Mania e nessa hora eu imaginava como seria legal ter alguém próximo que compartilhasse desses mesmos sentimentos que eu tenho certeza que você que está lendo isso sabe e sente quando teu lutador favorito escapa do pin quase no 3, conquista o título que perseguiu por praticamente um ano todo ou a dor de quando ele é traído pelo seu melhor amigo.

No dia seguinte pude ver o resultado, ficar putaço com a derrota do Jeff e gastar uma hora procurando um vídeo da luta. Essa é outra luta que assisti tanto que tenho todos os lances na cabeça. Antes de escrever esse texto eu estava em dúvida de qual luta escolher, separei algumas opções e decidi assistir novamente para escolher sobre qual falar. Quando começou a promo de Jeff vs Matt na WrestleMania 25 eu me arrepiei de uma forma que nem precisei assistir as outras para saber que era essa a luta mais importante em WMs na minha jornada como fã.

A história dos dois seguiu, I Quit Match, rolaram as pazes, Jeff saiu, depois Matt também vazou da WWE e o fanboy aqui passou acompanhando os dois por onde iam, mas sempre esperando um retorno à WWE. Em 2017 quando eles finalmente voltaram mais uma vez eu não estava em casa assistindo o evento, mas dessa vez porque estava no vestiário de um ginásio em Guarulhos me preparando pra ir pro ringue.

Meu plano era chegar em casa e assistir sem pegar Spoilers, mas o quiridu amigo Rurik Jr resolveu pegar o celular e abrir o WWE Network pelo 4g mesmo só de zoas pra ver o que estava acontecendo e foi exatamente na hora em que os Hardyz estavam vindo pro ringue. Por um lado eu gostaria muito de ter vivido aquela época com as facilidade que temos hoje pra assistir e acompanhar os shows, mas por outro talvez todas as dificuldades técnicas e a forma como eu tinha que dar os meus pulos e realmente correr atrás pra conseguir descobrir qual seria o próximo capítulo dessas histórias faz com que eu guarde tudo isso com um carinho a mais no coração.

Avanços tecnológicos a parte, se eu contasse pro Rapha naquela noite de WrestleMania 25 que em alguns anos ele estaria lutando em um show de wrestling aqui no Brasil numa noite de WrestleMania ele talvez não acreditasse, então reservo aqui meu direito em dar o benefício da dúvida pro Rapha do futuro voltar aqui pra 2019 pra me contar que daqui uns anos ele estará em uma WrestleMania.

Siga a BWF e o Rapha Luque


Confira todos os capítulos do especial Memórias de WrestleMania

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *